sábado, novembro 05, 2005

Antonius terribilis no coliseu

31 de Outubro, 21 horas, Coliseu dos Recreios, Lisboa. Concerto marcado de Antony and the Johnsons. Por volta das dez e um quarto, Antony Hegarty, (o Antony) comparece em palco fazendo-se acompanhar por 6 musicos, baixista, baterista, violoncelista, violinista, guitarrista, sendo que o outro elemento, mais versátil, alternava, às exigências da melodia, entre a guitarra e o violino.
Depois de o público ter sido brindado durante cerca de uma hora com um senhor que cantava e tocava, (poupo-me a adjectivos), guitarra acústica, oferecendo um espectáculo tão agradável que quando revelou que iria entrar na última musica foi ovacionado, sobem finalmente ao palco os convidados da noite. E aqui, foi o pasmo, o dito senhor vinha inserido na formação do Johnsons.
Poucas palavras pelo meio, e soa então My Lady Story, tema que abriria o desfile de musicas do segundo álbum, (I´m a Bird Now), que preencheriam a hora e pouco de concerto. Nem as palmas de incentivo no início e fim de cada musica foram suficientes para satisfazer um pedido da plateia para que tocasse The Lake. Foi juntando, entretanto, versões de Lou Reed, Leonard Cohen, Nico (particularmente boa) e Moondog, de quem fez uma breve introdução. Outra oportunidade de o ouvir foi quando se referiu à cúpula, futurista segundo ele, da sala ocasionando, claro está, o riso.
É de facto incontestável, que Antony possui uma voz singular e que a sabe usar. Provou também que é exímio tocador de piano e extremamente hábil na conjugação destes dois instrumentos. Mas um espectáculo ao vivo requer uma emotividade e expressividade que sejam capazes de se fazer aproximar e envolver o público, e tal não aconteceu no coliseu.
O momento maior da actuação foi, na minha opinião, em Fistfull of Love, embora faltasse notoriamente um saxofone a acompanhar, tal como em Cripple and the Starfish, a única musica tocada do primeiro e, digo eu, melhor álbum.
Um concerto que ficou bastante aquém do esperado, e de toda a discografia editada.